ÉVORAFIP

Artigos

Engenharia e Comunicação

7 erros que as empresas devem evitar nas redes sociais

 
Pexels.com

Pexels.com

 

Quando se fala em redes sociais, é fácil cair em armadilhas e sensos comuns que se ouvem por aí. Por se tratar de um mundo vasto que se encontra em constante mudança, nunca existem certezas e fórmulas mágicas que garantem sucesso para a sua empresa. Contudo, há todo um conjunto de boas práticas que pode – e deve – seguir.

 

1. Usar todas as redes sociais.

Há muitas redes sociais no universo online. Enquanto em Portugal o Facebook, o Instagram, o LinkedIn e o Pinterest são os mais conhecidos e usados, perfazem apenas uma porção das redes sociais que existem. Há que considerar ter uma presença em várias redes e não se cingir apenas a uma (como muitas empresas pequenas recorrem unicamente ao Facebook), mas também não se deve usar TODAS as redes sociais. É importante saber e compreender as funções e características de cada uma, e adaptar a estratégia de comunicação da empresa às redes em que vale realmente a pena apostar.

 

2. Não identificar um público-alvo.

Nem todos os utilizadores das redes sociais são exatamente o mesmo. É verdade que, no Facebook, 59% dos utilizadores têm entre 25 e 54 anos, e que 71% dos utilizadores no Pinterest são mulheres. Porém, estas são estatísticas bastante generalistas que não deviam limitar toda a estratégia de comunicação de uma empresa.

 

3. Publicar sem uma estratégia.

É muito fácil publicar ou partilhar conteúdo que vemos publicado nas redes sociais. No entanto, nem tudo o que se partilha só porque achámos interessante ou engraçado o vai ajudar a alcançar os objetivos para a sua empresa. Defina uma estratégia para as redes onde a sua empresa está presente, e estabeleça o tipo de conteúdo que quer publicar de acordo com os objetivos que traçou.

 

 
Pexels.com

Pexels.com

 

4. Publicar demasiado ou muito pouco.

Infelizmente, não há um número exato que lhe diz quantas vezes deve publicar nas redes sociais para atingir o sucesso. Existem, no entanto, várias teorias e estudos que se aventuram em números, e estas são as referências onde se pode basear para começar.

 

5. Usar as redes sociais de forma unidirecional.

Todos sabemos como a internet, e em particular as redes sociais, vieram mudar o paradigma de fazer negócio e de vender produtos ou serviços. Porquê? Porque permitem uma comunicação bidirecional, isto é, o público deixou de ser este elemento estático que se limita a receber as mensagens. Agora, os clientes respondem às empresas, tornaram-se mais exigentes e estão bem conscientes dos seus direitos enquanto consumidores.

As redes sociais são parte deste processo de trocas, e permitiram construir este espaço onde as pessoas partilham as mais variadas informações com outros utilizadores, e onde interagem com as empresas e instituições de forma mais fácil e acessível. Se, enquanto empresa, se limita a usar as redes sociais como um meio para difundir as suas mensagens, então está a perder diversos benefícios que provêm desta troca que se faz em dois sentidos.

 

6. Ignorar outros negócios e contas online.

A ideia subjacente às redes sociais é a interação. Assim, é importante não usar estas ferramentas numa bolha. Enquanto empresa, pode e deve interagir com outras contas/páginas, através da partilha de outras publicações, comentários nos posts de outras empresas, e até parcerias para alcançar uma audiência maior.

 

 
Pexels.com

Pexels.com

 

7. Ignorar estatísticas e medidas analíticas.

É crucial monitorizar aspetos como seguidores, gostos, cliques, vendas, conversas, ou visitas ao website. Desta forma, conseguirá sempre adaptar o conteúdo e a sua estratégia de marketing/comunicação para obter melhores resultados.